Publicação fixa: Argumentos lógicos X tratados teológicos

Meus textos questionando o sistema religioso e as mentiras do cristianismo são sempre com argumentos de raciocínio lógico, porque para mim vale o que está escrito sem interpretações humanas, sem oráculos para traduzir o texto. Escrevi sobre isso no texto Eu creio.
Aí a pessoa (várias pessoas fazem isso) vem no meu blog e escreve um comentário cheio de versículos soltos, cheio de tratados teológicos, de argumentos que ouço desde criança e que não explicam nada, puros sofismas e forçação de barra, e pior, cheio de citações de Paulo (?????), provando que não leu meu livro todo, não entendeu meus argumentos lógicos.
Já disse uma vez e vou repetir, teologia é teólogo fingindo que explica e povo fingindo que entende. Se não é lógico, se não está cla-ra-men-te escrito preto no branco, se qualquer leitor não pode entender sem oráculo, então, por favor, não invada meu blog para fazer proselitismo e tentar me convencer com argumentos teológicos.
Eu saí do sistema religioso, não tenho religião, não sigo Paulo, nem sigo ninguém que tenha rasgado a Torah. Eu sigo a Torah, e nada além disso.
Eu não invado o blog de ninguém, não fico tentando convencer, nem fico discordando dos textos de ninguém. Escrevo nos MEUS blog para quem quiser ler. Se não concorda com o que escrevo é seu direito, mas não adianta ficar me mandando tratados teológicos chatos. Não faço isso com ninguém.
E não, não vou mesmo publicar seu comentário, nem de ninguém que queira pegar carona no meu blog. Discorde no seu blog. Mas antes leia tudo para ter certeza de que entendeu e que não está repetindo a lavagem cerebral que ouve nos púlpitos.

sábado, 16 de novembro de 2013

Para julgar você precisa conhecer os dois lados da história


P.S.: Se você não viu, não estava na situação, deveria ter muito temor antes de julgar (inocentar ou condenar) e escolher um dos dois lados. Deveria ouvir TODOS os envolvidos, principais e testemunhas. E ainda deveria levar em consideração os antecedentes dos envolvidos, principalmente se você os conhece há muito tempo e sabe quem já mentiu antes (como diria o professor de Nárnia 1), sabe quem já "aprontou" outras vezes. Ou seja, não é simples inocentar ou condenar alguém.

Para julgar é preciso ouvir os dois lados:
"Perfil: Um juiz tem a função de definir questões relacionadas à vida, à liberdade e à escolha de cada indivíduo. 'Ele julga as pessoas. Por isso, é preciso manter a imparcialidade, OUVIR OS DOIS LADOS e não julgar com pré-conceitos', destaca Bacellar." (Fonte) [grifo meu]

E quando há pontos divergentes, deve-se fazer uma acareação:
"A acareação, também conhecida como acareamento, é uma técnica jurídica que consiste em se apurar a verdade no depoimento ou declaração das testemunhas e das partes, confrontando-as frente a frente e levantando os pontos divergentes, até que se chegue às alegações e afirmações verdadeiras.
A acareação é um procedimento onde acusados, testemunhas ou ofendidos, JÁ OUVIDOS, são colocados face a face para esclarecer divergências encontradas em suas declarações. A acareação pode ser requerida pelas partes ou determinada de ofício pelo juiz. Entretanto, a acareação não é uma etapa obrigatória do processo, sendo a sua concessão uma faculdade do juiz."
(Wikipedia) [grifo meu]

Um comentário:

renato disse...

parabens pelo conteudo e estrutura do blog. forte abraço, renatoartesanatoem
MDF